Universidade do Minho: adaptação e distribuição de brinquedos eletrónicos para crianças com necessidades especiais

O Laboratório de Automação e Robótica do Departamento de Eletrónica Industrial da Universidade do Minho e a SALUSLIVE estão, à semelhança dos anos anteriores, a iniciativa de adaptar e distribuir brinquedos eletrónicos este Natal para crianças com necessidades especiais. Infelizmente a equipa que organiza esta iniciativa ainda não recebeu qualquer doação de brinquedos por parte de empresas, o que não os demoveu da iniciativa e por isso decidiram angariar brinquedos utilizados. Desta forma, associaram a angariação de brinquedos à efetuada pela Ação Social da Universidade do Minho, os quais lhes facultaram brinquedos eletrónicos. Mas apelam a todos os que puderem oferecer brinquedos eletrónicos os podem entregar no Infantário Lar de Santa Estefânia em Guimarães, no Pavilhão Desportivo da Universidade do Minho em Azurém, e no Pavilhão Desportivo da Universidade do Minho em Gualtar.

A SALUSLIVE e o Laboratório de Automação e Robótica organizam esta recolha de brinquedos eletrónicos, que serão adaptados de 10 a 15 de dezembro no Laboratório de Automação e Robótica em Guimarães, para posteriormente serem entregues a crianças com necessidades especiais. O laboratório é preparado de antemão, os diversos robots são afastados para os cantos de forma a haver espaço livre, as mesas são colocadas em posição e tudo fica preparado para começar toda a ação de adaptação de presentes especiais para crianças ainda mais especiais. Cada adaptação é feita cuidadosamente, com carinho, e a animosidade, sorrisos e brincadeiras que se atinge entre ferros de soldar e alicates, tesouras e chaves de fendas, que passam de mão em mão, faz lembrar a verdadeira imagem dos duendes que retemos no nosso imaginário da oficina do Pai Natal em azáfama antes do Natal.

Movidos pelo espírito natalício, alunos e docentes do Laboratório de Automação e Robótica, fazem a adaptação de brinquedos no sentido de adaptar o acionamento de cada brinquedo de uma forma mais simples. Esta adaptação que poderá ser simples na maioria dos brinquedos, aumenta de dificuldade quando surgem brinquedos mais elaborados mas esta é, no entanto, a única forma de se criar um método universal para que as crianças com e sem deficiências possam utilizar o mesmo brinquedo. Segundo os mentores e responsáveis pela iniciativa, a alegria manifestada e sentida nas edições anteriores pelos alunos que se voluntariam é contagiante e o espírito natalício que se gera entre todos é reconfortante.

www.dei.uminho.pt

1 Comentário

  1. Uma iniciativa muito interessante, onde acima de tudo prevalece o espírito solidário e os princípios de inclusão de todos com as adaptações dos brinquedos.
    Uma vez ouvi algo a respeito de crianças com necessidades educativas especiais que me abalou, alguém dizia que ninguém se interessa por “essas” crianças a não ser os pais delas.
    Iniciativas como esta mostram que felizmente ainda podemos ter fé na espécie humana e no coração de quem desenvolve projectos a pensar nas necessidades dos outros de forma gratuita, ganhando apenas a realização de saberem estar a fazer o bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*