Frotas de drones no controlo de desastres naturais

A União Europeia (UE) e a Coreia do Sul atribuíram 8,3 milhões de euros ao projeto RespondDrone para que seja desenvolvida uma solução de gestão de emergência baseada numa frota de drones. O objetivo é que a resposta aos desastres naturais seja mais rápida, eficaz e eficiente. Há uma instituição portuguesa a colaborar neste projeto – o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), que está responsável pelas comunicações sem fios suportada por drones.

Esta solução está a ser desenvolvida por 20 instituições internacionais, pertencentes a 12 países, e vai permitir fornecer informações críticas e serviços de comunicação às equipas de emergência. Além de simplificar e acelerar a avaliação da situação de catástrofe, a partilha de informações, a tomada de decisões e a gestão das operações, a solução vai fornecer informações de alta qualidade a qualquer centro de controlo envolvido através de um sistema web inteligente e acessível, que pode ser operado de forma remota. A solução vai ainda incluir uma rede de comunicações aérea para permitir que as equipas de emergência em terra comuniquem com o centro de comando em caso de falha ou necessidade de reforço da cobertura móvel no local do desastre. Para apoiar o desenvolvimento desta solução, o consórcio internacional recebeu 8 milhões de euros da UE e 300 mil euros do governo da Coreia do Sul.

Quando este projeto estiver concluído, a implementação do sistema RespondDrone será bastante simples. O INESC TEC é responsável pelo desenvolvimento da solução de comunicações sem fios suportada por drones, que garantirá comunicações entre as equipas de emergência no terreno e o centro de comando, quando há falha de cobertura móvel ou necessidade de reforço de capacidade no local do desastre. Este projeto é financiado pelo programa de Investigação e Inovação da União Europeia H2020 e pelo Governo Coreano ao abrigo do acordo número 833717.