indústria 4.0

O dossier “indústria 4.0” é composto pelos…

A Indústria 4.0 mudará definitivamente a forma como lidamos atualmente com a produção de consumo, de materiais e todos os setores de mercado no espectro B2C até B2B.

A Indústria 4.0 é a evolução dos sistemas produtivos industriais em que a tecnologia base responsável por este conceito é o IIoT (Industrial Internet of Things, Internet Industrial das Coisas) e o M2M (Machine to Machine, Máquina para Máquina). É com base nestes conceitos que serão desenvolvidas as fábricas do futuro onde as máquinas altamente dinâmicas comunicam, a partir de sistemas cyberfísicos que monitorizam os processos físicos, criam cópias virtuais do mundo físico e tomam decisões descentralizadas, permanentemente entre si e em tempo real, onde os processos produtivos tendem a se tornar cada vez mais eficientes, autónomos e costumizáveis. Com a Internet das Coisas (IoT), os sistemas cyberfísicos comunicam e cooperam entre si e com os humanos em tempo real e, através da computação em nuvem, os serviços internos e organizacionais são oferecidos aos participantes da cadeia de valor. Por outro lado, a utilização de softwares industriais inovadores, de sensores inteligentes, de tecnologia RFID, de módulos GPS, de sistemas embebidos inteligentes, a descentralização e a modularização dos sistemas terá um impacto fundamental nesta nova fase pois irá permitir a integração do planeamento, desenvolvimento e produção de produtos bem como a abertura de uma porta para a otimização, redução dos custos, economia de energia, aumento da segurança, conservação do ambiente, redução dos erros, eliminação do desperdício, transparência nos negócios e o aumento da qualidade de vida. É pois com base nos princípios anteriormente referidos, que a Indústria 4.0 se torna uma realidade não só devido aos avanços tecnológicos das últimas décadas mas também devido às tecnologias em desenvolvimento nos campos das tecnologias de informação (a Internet, nomeadamente) e da engenharia.

Assim, e para que este conceito funcione e se possa obter os benefícios acima referidos, foi necessário o desenvolvimento de novas tecnologias
de automação industrial, muitas delas oriundas do mundo das tecnologias da informação, como o uso do protocolo de comunicação IPV6 (ampliação dos pontos de conexão IP de todos os Devices), do wireless, da cloud (as informações compartilhadas na nuvem), do RFID (todo o movimento de materiais é rastreado com todas as informações) e, por fim, o uso do Big Data (todas as informações reunidas, de forma dinâmica, para a tomada de decisões). É pois com base nestes desenvolvimentos tecnológicos que as empresas poderão implementar o conceito Indústria 4.0 suportado por redes inteligentes, que interligarão as máquinas, sistemas e ativos, ao longo de toda a cadeia de valor e controlar os módulos produtivos de forma autónoma. Ou seja, as fábricas inteligentes terão a capacidade e autonomia para agendar manutenções, prever falhas nos processos e se adaptarem aos requisitos e mudanças não planeadas na produção.

Adriano A. Santos

Para ler o artigo completo faça o download gratuito da revista “robótica” nº104. Verifique o seu email após o download. Pode também solicitar apenas este artigo através do email: a.pereira@cie-comunicacao.pt

dossier

      Selecione as sua(s) área(s) de interesse

      Utilize a tecla Ctrl para selecionar mais que uma opção

      De acordo com o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados, ao registar-se, receberá regularmente informações nossas, seja sobre os nossos serviços e produtos, promoções, newsletters, revistas digitais dicas de como tirar maior partido das ferramentas que disponibilizamos e ainda se habilita a participar em eventos que vamos organizando ao longo do ano.

    Outros artigos relacionados