Contrinex
Propósito: “oferecer ao mercado soluções completas de acionamentos industriais”

Propósito: “oferecer ao mercado soluções completas de acionamentos industriais”

A Harker Sumner, fundada em 1896 por John Harker e Gerald Sumner, assume-se como uma empresa que desde sempre tem uma missão importante na industrialização em Portugal.

Constituída há mais de 125 anos, a Harker Sumner fez parte de um grupo de cerca de 200 empresas que atravessaram o século XX e participaram ativamente na industrialização de Portugal. A empresa pretende dar continuidade a este legado e prosseguir com os seus objetivos bem definidos, tanto mundialmente como em Portugal com a Harker Solutions.

A chave da longevidade da Harker Solutions deve-se à criação de parcerias de longa duração – contando com uma centenária – com players industriais europeus de referência mundial em temas como a tecnologia, a eficiência operacional e energética em contexto industrial. Estas parcerias, algumas exclusivas em Portugal, garantem um nível de serviço nos clientes altamente diferenciador, bem como uma “escola” de conhecimento para o capital humano da Harker Solutions. A Harker trabalha com todos os setores industriais, apresentando e facultando melhorias contínuas na capacidade e novas funcionalidades nas máquinas e nos processos produtivos.

A revista “Robótica” falou com Pedro e Paulo Santoalha, Administração da Harker Solutions, sobre a importância da empresa para o tecido empresarial português, revisitando o passado e planeando o futuro.

Revista Robótica (RR): Como carateriza o mercado industrial em Portugal? Como a Harker Solutions trabalha com os diferentes setores da indústria deve ter uma visão mais ampla do mercado.

Pedro e Paulo Santoalha (PPS): Consciente de que a indústria é um setor de atividade fundamental na economia portuguesa, a Harker Solutions está posicionada desde 1896 no dia-a-dia de milhares de empresas nacionais, em vários segmentos industriais como setor da água, alimentar/bebidas/tabaco, automóvel/componentes, borracha e pneus, pasta de papel, química/petrolífera, plásticos, cerâmica, metalúrgica, metalomecânica e OEM’s, madeira e aglomerados, gráfica, farmacêutico, cortiça, entre outros.

por Helena Paulino

Para ler a entrevista completa faça a subscrição da revista e obtenha gratuitamente o link de download da revista “robótica” nº 132. Pode também solicitar apenas esta entrevista através do emaila.pereira@cie-comunicacao.pt